Responsabilidade Social

O mundo corporativo - e isso é  incontestável - mudou e continua mudando. Aliás, essa é a única certeza que todos nos podemos ter. Paradigmas relacionados a processos seculares de gestão estão sendo quebrados e novos modelos surgindo.

Os Sindicatos têm um papel fundamental na formatação dos emergentes parâmetros que servirão de base à constituição das ações coletivas vivenciadas pelos parceiros sociais envolvidos. Um olhar atento deve ser colocado para o desenvolvimento desses novos contatos e contratos ( individuais e coletivos ) de trabalho, mais afetivos à realidade. Um papel diferenciado também passa a marcar os atuais instrumentos jurídicos,
que exteriorizam e materializam parte do conteúdo das negociações coletivas de trabalho. Passa-se a exigir assim dos sindicatos uma ascensão a esse novo cenário de conjuntura social.

O Sindicato dos Rodoviários veio para defender os direitos da classe e atendê-la em todos os sentidos. Sempre buscou meios de dar acesso a um salário justo junto às empresas, e ainda à saúde, educação, trabalho e direitos humano. Elevando, assim, o seu conceito de cidadania. Sentia que o homem tende a se acostumar com a fome, o desemprego e a exclusão social.
Atento aos acordos entre patrões e federação, antes da sua existência, ainda como Associação, o Sindicato dos Rodoviários de Patos de Minas colocou-se à frente. Passou a exigir dos  patrões o cumprimento de seus deveres para com os empregados, sem deixar de assistir, desde os primeiros momentos, aos seus filiados quanto à saúde e uma vida social sadia e amiga, mostrando onde as coisas não funcionam e opções para solução.